Sistemas de Segurança Eletrônica no Brasil: segundo dados, setor é promissor

Recentemente a integradora de Sistemas de Segurança Veolink, foi destaque no Portal Segs, confira!

 

A Veolink é destaque no Portal Segs

Parte do tradicional Grupo Graber e atuante em todo o território brasileiro, A Veolink – fusão das empresas Veotex e Securitylink, chega ao mercado com integradoras de sistemas de segurança eletrônica

O mercado de segurança eletrônica no Brasil está em constante desenvolvimento, e o reflexo já pode ser sentido. Segundo dados da Abese, Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, o setor é responsável por gerar mais de 250 mil empregos diretos – indiretamente, são mais de 2 milhões.

Tamanha movimentação fez com que o setor faturasse R$ 7,17 bilhões em 2019. Para 2020, a previsão de crescimento é de 12%, ainda citando a pesquisa anterior.

Inovação

Apresentando um cenário promissor, o mercado de segurança eletrônica brasileiro ganha uma nova empresa: a Veolink. Fusão da Securitylink e Veotex, ambas do Grupo Graber, a Veolink já nasce grande.

Claudio Gaspari, diretor-presidente da Veolink, explica que tudo foi planejado para garantir eficiência e entrega. “A integração priorizou a manutenção do quadro de funcionários, visando ampliar ainda mais a nossa capacidade de atendimento a grandes projetos em todo o território nacional. Uma das vantagens da fusão foi a uniformização dos processos, escolhendo aqueles de melhor performance comprovada, aumentando assim a eficiência”, informa Claudio Gaspari, diretor-presidente da Veolink.

A Veolink espera se consolidar como uma das principais integradoras de soluções em segurança eletrônica e gestão de dados. Ela fornece os mais variados tipos de sistemas de videomonitoramento, alarme, controle de acesso, detecção de incêndio e centrais de monitoramento. Além disso, tem como parte de sua expertise soluções de cabeamento estruturado, automação e soluções customizadas de gestão, o que torna sua oferta única e completa para o mercado Brasileiro.

Com cinco escritórios espalhados pelo país e sede operacional e comercial na capital paulista, a Veolink investirá, aproximadamente, R$ 3 milhões no desenvolvimento de novas tecnologias nas áreas de controle de acesso, transmissão de imagens e customizações de sistemas de gestão e controle, entre outras demandas específicas.

“O nosso departamento de Pesquisa & Desenvolvimento trabalha de maneira conectada. O de São Carlos, por exemplo, beneficia-se da proximidade com as universidades locais, fornecedoras de mão de obra de extrema capacitação em desenvolvimento de software e hardware”, informa Claudio Gaspari.

Para finalizar, Claudio ressalta que, para conseguir manter um alto nível de qualidade em seus serviços, a Veolink continuará a investir em seus colaboradores. E existe até um projeto para isso: Academia Veolink, que se preocupa com a capacitação e atualização técnica dos consultores, com intuito de sempre levar adiante as melhores e mais atuais soluções existentes no mercado.

Parceria excelente

De origem Suíça, a Graber iniciou a sua atuação no Brasil em 1958 na área de usinagem de alta precisão. Em 1982 o Grupo começa suas atividades no segmento da segurança, sendo a primeira empresa nacional de porte a oferecer serviços de monitoramento no mercado brasileiro. Nas últimas três décadas, se mantém como um dos principais protagonistas do mercado de segurança. O Grupo Graber atua também nos segmentos de Telecomunicações e Tecnologia.

ARTIGOS RELACIONADOS

Veolink implanta base avançada no Centro-Oeste

O agronegócio brasileiro vem em crescimento ano após ano, colocando o Brasil como uma das potências mundiais do setor e grande produtor e exportador de diferentes produtos, como celulose, café, soja, milho, carne bovina, açúcar e suco de laranja. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

Saiba quais as vantagens de um sistema de segurança customizado

O tema segurança nas indústrias é extremamente relevante, pois toda organização – independentemente do setor em que se encontra- precisa dela para operar bem. Desde grandes siderúrgicas, passando por empresas portuárias e de transporte, refinarias e até mesmo universidades precisam de um plano que minimize riscos aos seus funcionários e

2024 será um bom ano para o mercado de segurança eletrônica

Em 2022, o setor de segurança eletrônica faturou R$11 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança; expectativa para este ano é  crescer dois dígitos O ano de 2023 foi muito desafiador para a economia em geral, com exceção do agro. Entretanto, a expectativa

Mercado de segurança eletrônica projeta curva de crescimento em 2024 

Para o ano que vem, a aposta é que o setor cresça dois dígitos; CEO da Veolink está otimista e reforça investimentos da empresa em inovações tecnológicas Neste ano de 2023, a Veolink investiu pesado em inovação tecnológica dos produtos próprios como a plataforma de gestão de acesso Nautilus, uma