Vantagens do Controle de Acesso

Sistema de Controle de Acesso para empresas: quais as vantagens?

Controlar a entrada e saída de pessoas, veículos e mesmo materiais é uma forma básica e eficaz de se manter a segurança dentro de uma empresa. O controle de acesso é um sistema que permite obter sucesso nesta iniciativa e, para tanto, possui muitas modalidades 

A primeira delas, considerada controle físico, engloba soluções como o uso de cancelas e catracas, que poderão ser liberadas a partir da leitura de cartões ou biometria. Já as barreiras virtuais dizem respeito aos sistemas de Circuito Fechado de Televisão inteligente (CFTV) e RFID, capazes de identificar e registrar pessoas, veículos e materiais de maneira digital e rápida, sem que haja necessidade de barrar o acesso por meio físico. 

Para entender melhor sobre o assunto, confira os tipos de Controle de Acesso mais utilizados no mercado:

Catracas: Utilizadas para o controle de acesso de pedestres, as catracas são comuns na entrada de edifícios comerciais, universidades, escolas e áreas de acesso restrito, por exemplo. Uma das formas de reforçar a proteção é optar por um sistema de leitor e coleta de cartões. Por exemplo, visitantes recebem um cartão, que deve ser depositado na catraca para somente então liberar seu acesso. Já no caso de funcionários ou estudantes, basta aproximar o cartão do leitor, que reconhecerá as informações coletadas e, assim, permitirá a entrada.

Entre os diferenciais no uso das catracas está a possibilidade de integrá-la a um sistema detector de metais, para maximizar a segurança, ou mesmo o sistema de “sorteio aleatório” de usuários, com o intuito de inibir ações ilegais ou entrada de objetos não-autorizados.

Torniquetes: Também destinado aos pedestres, este método oferece uma segurança a mais ao passo que impossibilita a passagem por cima ou por baixo da catraca, sendo ideais para locais onde há grande fluxo de pessoas. Também pode ser integrado ao sistema detector de metais, como nas portas de agências bancárias, e pode ser programado para não permitir a passagem de duas pessoas por vez.

Cancelas: Utilizadas em estacionamentos, as cancelas auxiliam no controle de entrada e saída de veículos. Com elas é possível analisar os dados informados pelo visitante com o intuito de permitir ou não sua passagem. Além do modelo tradicional, utilizado para veículos, há cancelas menores que se destinam a veículos mais leves, como motos e bicicletas, ou ainda modelos maiores, capazes de controlar o acesso de ônibus e caminhões.

Mas além de prevenir a entrada de veículos ou pessoas indesejadas, é importante atentar para a segurança de quem chega. Dessa forma, é essencial que uma cancela seja composta também por mecanismos como sensores anti-esmagamento e semáforos, por exemplo.

Portas: este sistema, que prevê a utilização anterior de catracas, cancelas ou torniquetes, permite a instalação de fechaduras eletromagnéticas em portas e portões de acesso. Assim, é possível controlar o acesso a salas internas e até mesmo configurar a liberação remota ou alarme sonoro a fim de impedir que fiquem abertas durante muito tempo. 

Cartões de acesso: considerados um excelente custo-benefício, os cartões de identificação eletrônica são ideais para o controle de acesso em áreas restritas. Porém, para que sejam mais eficazes e seguros, de acordo com a situação em que serão utilizados, é recomendado que sejam integrados a um segundo método de segurança, como senha ou biometria.

Os cartões de acesso podem ser utilizados com diferentes tecnologias, tais como código de barras, tarja magnética, proximidade, Wiegand, ISO 14443, ISSO 18000, BLE e NFC.

Leitoras: o uso de biometria, reconhecimento facial e cartões de acesso é possível através de leitoras, próprias para cada sistema adotado. Ao escolher o melhor método para a empresa, é necessário considerar características e necessidades pertinentes a cada local. 

Entre as leitoras mais conhecidas estão as de cartões de proximidade, tags, cartões inteligentes sem contato e ainda as leitoras biométricas, responsáveis pelo reconhecimento facial, impressão digital ou geometria de mão. 

No entanto, ao passo que os avanços tecnológicos permitem a criação de novos sistemas de proteção, também colocam em xeque a eficácia de alguns, como é o caso dos cartões e leitoras Wiegand, que apesar de serem muito utilizados, já são considerados inseguros em relação a outros métodos disponíveis.

O tema é bastante vasto e complexo, portanto é sempre aconselhável contar com um especialista da área para a especificação correta da solução. A Veolink possui consultores online que podem gratuitamente orientar suas decisões. 

ARTIGOS RELACIONADOS

Veolink implanta base avançada no Centro-Oeste

O agronegócio brasileiro vem em crescimento ano após ano, colocando o Brasil como uma das potências mundiais do setor e grande produtor e exportador de diferentes produtos, como celulose, café, soja, milho, carne bovina, açúcar e suco de laranja. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

Saiba quais as vantagens de um sistema de segurança customizado

O tema segurança nas indústrias é extremamente relevante, pois toda organização – independentemente do setor em que se encontra- precisa dela para operar bem. Desde grandes siderúrgicas, passando por empresas portuárias e de transporte, refinarias e até mesmo universidades precisam de um plano que minimize riscos aos seus funcionários e

2024 será um bom ano para o mercado de segurança eletrônica

Em 2022, o setor de segurança eletrônica faturou R$11 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança; expectativa para este ano é  crescer dois dígitos O ano de 2023 foi muito desafiador para a economia em geral, com exceção do agro. Entretanto, a expectativa

Mercado de segurança eletrônica projeta curva de crescimento em 2024 

Para o ano que vem, a aposta é que o setor cresça dois dígitos; CEO da Veolink está otimista e reforça investimentos da empresa em inovações tecnológicas Neste ano de 2023, a Veolink investiu pesado em inovação tecnológica dos produtos próprios como a plataforma de gestão de acesso Nautilus, uma