Conheça as câmeras utilizadas no Circuito Fechado de Televisão (CFTV)

Com os avanços tecnológicos, as atualizações de sistemas, bem como a criação de produtos cada vez mais conectados, não é difícil entender que o ramo da segurança eletrônica é composto por equipamentos modernos capazes de atender a diferentes necessidades de uso.

No caso de um Circuito Fechado de Televisão (CFTV), as câmeras de segurança correspondem ao seu principal dispositivo, afinal de contas, é através delas que as imagens são captadas e enviadas para a central de monitoramento. Por essa razão, elas correspondem a um dos maiores investimentos do setor de Pesquisa e Desenvolvimento em uma empresa de segurança patrimonial. Isso porque, esses equipamentos devem atender a necessidades específicas e oferecer imagens de qualidade para o controle eficaz de uma área. 

Atualmente, são muitas as variações técnicas empregadas no desenvolvimento de uma câmera de vigilância. Elas possuem funções variadas, são capazes, por exemplo, de captar imagens em ambientes de escuridão total, monitorar a temperatura de uma área pré-determinada, bem como das pessoas que circulam pelo local, além de outras funcionalidades.

De acordo com a necessidade e o planejamento, podem ser utilizadas câmeras fixas, que são responsáveis pelo enquadramento de uma cena específica, ou ainda as câmeras com ajuste remoto dinâmico, manual ou automático, possibilitando o direcionamento da sua lente de acordo com o ângulo que se deseja capturar. As câmeras móveis permitem o ajuste do enquadramento conforme a necessidade do momento e também são conhecidas através da sigla PTZ – Pan/Tilt/Zoom. 

As câmeras também podem ser analógicas ou digitais, com recursos diversos que permitem resultados ainda melhores, tais como analíticos embarcados, compressão avançada de imagem, áudio mono ou bidirecional, detecção de alarmes, ajuste dinâmico para situações variáveis de iluminação, autofoco, entre outros.

Além das câmeras, é importante que o CFTV conte com um gravador de vídeo de grande capacidade, o Digital Video Recorder (DVR). Com ele é possível gravar e armazenar as imagens captadas, além de transmiti-las em tempo real e de maneira remota à central de monitoramento. Há ainda o Network Video Recorder (NVR), um equipamento essencial para o gerenciamento e armazenamento das imagens, sendo compatível com as câmeras digitais.

Conheça os tipos de câmeras fixas:

  • Box: como o próprio nome sugere, este tipo de câmera tem formato semelhante ao de uma caixa.
  • Bullet: sua lente possui formato cilíndrico e, ainda, possui sensor infravermelho como diferencial.
  • Dome: corresponde a um dos tipos mais comuns e muito utilizado no mercado, possui formato circular.
  • Pinhole: um modelo discreto e ultrapequeno, utilizado em situações especiais quando se quer ocultar a presença de uma câmera.

Conheça os tipos de câmeras móveis:

  • Speed Dome: seu diferencial está na alta velocidade que seu sistema oferece, além da possibilidade de zoom elevado, permitindo a aproximação de imagens sem perder a qualidade. Costuma ser utilizada em sistemas de segurança de áreas externas.
  • Pan-tilt: está câmera costuma ser utilizada no monitoramento de estradas e é capaz de capturar movimentos horizontais e perpendiculares.

ARTIGOS RELACIONADOS

Veolink implanta base avançada no Centro-Oeste

O agronegócio brasileiro vem em crescimento ano após ano, colocando o Brasil como uma das potências mundiais do setor e grande produtor e exportador de diferentes produtos, como celulose, café, soja, milho, carne bovina, açúcar e suco de laranja. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

Saiba quais as vantagens de um sistema de segurança customizado

O tema segurança nas indústrias é extremamente relevante, pois toda organização – independentemente do setor em que se encontra- precisa dela para operar bem. Desde grandes siderúrgicas, passando por empresas portuárias e de transporte, refinarias e até mesmo universidades precisam de um plano que minimize riscos aos seus funcionários e

2024 será um bom ano para o mercado de segurança eletrônica

Em 2022, o setor de segurança eletrônica faturou R$11 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança; expectativa para este ano é  crescer dois dígitos O ano de 2023 foi muito desafiador para a economia em geral, com exceção do agro. Entretanto, a expectativa

Mercado de segurança eletrônica projeta curva de crescimento em 2024 

Para o ano que vem, a aposta é que o setor cresça dois dígitos; CEO da Veolink está otimista e reforça investimentos da empresa em inovações tecnológicas Neste ano de 2023, a Veolink investiu pesado em inovação tecnológica dos produtos próprios como a plataforma de gestão de acesso Nautilus, uma