Segurança eletrônica em alta: setor apresenta crescimento acima da média  

 

Os últimos anos têm sido de crescimento no setor da segurança eletrônica. De acordo com o balanço realizado anualmente pela Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese), o aumento de 13% registrado em 2020 no segmento representou um crescimento acima da média e, apesar das dificuldades impostas pela pandemia, o setor conseguiu alcançar excelentes números. Isso se deve, principalmente, à necessidade de enfrentar a disseminação do novo Coronavírus, com a implementação de câmeras termográficas e portarias remotas a fim de diminuir o contato entre pessoas e respeitar o distanciamento social. 

 

Ainda no levantamento realizado pela Abese, essa tendência se confirma ao mostrar que 40% das empresas de segurança eletrônica do país registraram aumento na procura por soluções de segurança que atendessem às necessidades relacionadas ao novo Coronavírus. Entre elas estão o controle de temperatura, controle de acesso via reconhecimento facial, a fim de evitar o contato com superfícies, câmeras inteligentes para identificar aglomerações, entre outros. Dessa forma, a tecnologia que a segurança eletrônica oferece, com soluções modernas e extremamente versáteis, vem atraindo cada vez mais adeptos. 

 

Conforme pontua a presidente da Abese, Selma Migliori, as necessidades que a pandemia impôs para diversos setores estão sendo supridas com eficiência a partir da implementação de dispositivos modernos, desde o agronegócio até a telemedicina. “Nossas soluções colaboram para garantir segurança e conforto durante o isolamento social”, avalia, ressaltando também a grande procura por soluções integradas de videomonitoramento, principalmente para condomínios comerciais e estabelecimentos corporativos que precisaram rever a segurança durante o período em que permaneceram fechados ou com expedientes reduzidos. 

 

Eficiência e economia

 

Em tempos de crise econômica, o custo-benefício das soluções implementadas em empresas e indústrias é um dos primeiros itens a ser avaliado. Na segurança, é possível optar por dispositivos modernos e eficientes sem deixar a economia de lado. E isso vem atraindo cada vez mais interessados pelos equipamentos de segurança eletrônica, visto que os custos com a portaria remota, por exemplo, podem representar uma economia de 60% em comparação com a portaria tradicional. 

 

Considerando as características do mercado e as necessidades específicas de empresas, indústrias, áreas rurais e até mesmo residenciais, o mercado da segurança eletrônica tende a ganhar cada vez mais espaço nos próximos anos. Ao mesmo tempo, soluções modernas, eficientes e o emprego da alta tecnologia proporcionam experiências ainda mais positivas para os usuários. De olho nas novas demandas do mercado, o setor está sempre em busca de soluções modernas para atender às necessidades que o “novo normal” vem impondo na sociedade. 

 

A Veolink é uma integradora de sistemas que atua há mais de 40 anos no mercado de segurança eletrônica e conta com as mais variadas soluções, podendo, ainda, desenvolver outras específicas para seu negócio. Acesse nosso site e conheça nossos serviços. 

 

Fonte: Revista Digital Security

ARTIGOS RELACIONADOS

Veolink implanta base avançada no Centro-Oeste

O agronegócio brasileiro vem em crescimento ano após ano, colocando o Brasil como uma das potências mundiais do setor e grande produtor e exportador de diferentes produtos, como celulose, café, soja, milho, carne bovina, açúcar e suco de laranja. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),

Saiba quais as vantagens de um sistema de segurança customizado

O tema segurança nas indústrias é extremamente relevante, pois toda organização – independentemente do setor em que se encontra- precisa dela para operar bem. Desde grandes siderúrgicas, passando por empresas portuárias e de transporte, refinarias e até mesmo universidades precisam de um plano que minimize riscos aos seus funcionários e

2024 será um bom ano para o mercado de segurança eletrônica

Em 2022, o setor de segurança eletrônica faturou R$11 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança; expectativa para este ano é  crescer dois dígitos O ano de 2023 foi muito desafiador para a economia em geral, com exceção do agro. Entretanto, a expectativa

Mercado de segurança eletrônica projeta curva de crescimento em 2024 

Para o ano que vem, a aposta é que o setor cresça dois dígitos; CEO da Veolink está otimista e reforça investimentos da empresa em inovações tecnológicas Neste ano de 2023, a Veolink investiu pesado em inovação tecnológica dos produtos próprios como a plataforma de gestão de acesso Nautilus, uma